terça-feira, 24 de novembro de 2015

Apagar.

O meu telemóvel tem uma lista pequena de números favoritos, os números das pessoas mais perto de mim, aquelas a quem telefonar se um cano rebentar, se me doer a cabeça, se me apetecer chorar porque estou a ter um dia particularmente mau, se um pneu furar ou se tiver que ir a correr para o hospital. O R encabeça essa lista. É uma lista pequena porque apesar de me sentir uma abençoada são poucas as pessoas a quem poderia pedir ajuda em qualquer um ou todas as situações acima. 
Hoje, depois de me trancar na rua com a minha bebé a dormir no sofá, depois de chorar ao telefone em desespero porque não conseguia abrir a porta com a chave enferrujada das emergências, depois de abrir a porta e perceber que a minha pequena Sara continuava a dormir pacificamente, sentei-me no sofá, olhei para o telefone e reparei pela primeira vez numa semana e dois dias que vou ter que apagar o número cinco da minha lista de favoritos. 
Vou ter que apagar aquele número. Pelo tempo verbal que usei na frase anterior dá para perceber que ainda não o fiz. Não consigo mesmo. Se eu ligar, ninguém vai atender. O vazio de um número de telemóvel a lembrar-me, com demasiada força, o vazio que perder alguém que amamos nos deixa. 

9 comentários:

  1. Gosto de ti todos os dias. beijo

    ResponderEliminar
  2. Nao te posso ir ai ajudar a abrir portas e mudar peneus... Mas posso fazer-te rir em vez de chorar! :-

    ResponderEliminar
  3. Beijinho, muito, muito grande!

    ResponderEliminar
  4. Não precisas de telefonar ela está sempre ao teu lado.. Bjs

    ResponderEliminar
  5. Ooohh que susto! Ainda bem que passou. Bjs

    ResponderEliminar
  6. Um grande beijinho Patrícia :-)

    ResponderEliminar
  7. Um beijinho grande e um xi bem apertadinho, Patrícia.

    ResponderEliminar

Escrevam-me de volta. Gosto de saber que não estou a "falar" sozinha.... :-)